Notícias

Como transportar o seu bichinho de estimação no avião

Foto por Divulgação 
Voar com o pet não é uma tarefa simples, mas é plenamente viável. Requer um pouco de planejamento, adaptação do animal e o cumprimento de algumas exigências das companhias aéreas. É importante avaliar as condições de saúde do bichinho antes de decidir levá-lo na viagem. Por mais calmo que seja o seu cão ou gato ou por mais bem acomodado que eles estejam durante a viagem, voar será sempre um fator de estresse. Por isso, confira passo a passo dos cuidados para tornar a experiências do seu animalzinho bem tranquila.

Regras

Informe-se das regras de transporte de animais da companhia aérea antes de comprar a passagem. Algumas empresas que não permitem o transporte de animais na cabine e têm restrições para o transporte no porão.

Vacinação

É necessário apresentar o certificado de vacinação antirrábica (para animais com mais de 3 meses de idade), aplicada entre 30 dias e até 1 ano antes da data do embarque. Caso a vacina esteja vencida ou não seja possível comprovar a vacinação, é necessário reaplicá-la pelo menos 30 dias antes do voo.

Transporte

Procure a bolsa ou caixa de transporte mais adequada em petshops ou lojas especializadas. Ela precisa ser resistente, bem ventilada e com tamanho adequado ao animal. Leve as especificações da companhia aérea para medir e comparar as dimensões na loja. Lembre-se que o animal precisa de espaço para se movimentar e que vai ficar naquele espaço durante toda a viagem.

Treine-o

Uns 15 dias antes da viagem inicie a adaptação do pet a bolsa ou caixa de transporte. É uma etapa muito importante. Alguns procedimentos sugeridos nos sites das companhias aéreas são: deixar o animal dentro do transporte em casa e o alimentar algumas vezes ao dia, deixar ele se acostumar.

Atestado

Uma semana antes do voo procure um veterinário e peça o atestado de saúde para viagens aéreas para o seu animal. Cada companhia tem sua regra, mas atestados emitidos no máximo dez dias da data do voo são aceitos por todas as empresas nacionais.

Sem calmantes

Calmantes não são recomendados em viagens de avião, pois podem provocar efeitos colaterais, tais como sedação excessiva, relaxamento muscular ou até excitação e ansiedade paradoxal. Só utilize se for expressamente recomendado pelo veterinário.

Porão ou Cabine

Caso o animal vá no porão, identifique-o e identifique também a caixa de transporte. Utilize um tapete higiênico para forrá-la e deixe uma pequena peça/pedaço de roupa com ele dentro da caixa. Caso ele vá na cabine, a orientação é deixar o animalzinho debaixo do banco.

Desembarque

No desembarque, caso tenha viajado no compartimento de carga, o animal será retirado do avião e colocado na área de retirada das bagagens. Ele não será colocado na esteira.

Texto por: Agência com edição de Caroline de Oliveira
PARCEIROS

Contatos

São Paulo/SP
Rua Martins Fontes, 330 - SALA BRAZIL
Centro - CEP: 01303-030
+55 (11) 3260-8488
+55 (11) 99679-7756

contato@guiadoturismobrasil.com

Rede Social


R J Publicidade e Marketing Ltda
CNPJ: 18.780.295/0001-21

© Copyright 2019 - Guia do Turismo Brasil | Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: DIGITATOS