Notícias

TRES OFERTAS PARA A COMPRA DA ALITALIA

Prazo para apresentação de propostas teve manifestações 
da Delta, EasyJet e grupo ferroviario italiano

Completado o prazo para a apresentação de propostas interessadas na aquisição da companhia aérea italiana, não surgiram maiores novidades. Foram confirmadas pela Comissão Esta da Alitalia, duas ofertas vinculadas e uma manifestação de interesse.
Tanto por parte do Grupo FS (ferrovias do estado), como da empresa britânica Easy Jet e da gigante norte-americana Delta, as intenções foram coerentes em relação à necessidade de reestruturação da Alitalia que está sob intervenção do governo desde maio do ano passado.


O conselho diretor da FS, em sua ultima reunião para avaliar o dossiê, decidiu apresentar a oferta para a compra da empresa aérea. No entanto, teria condicionado a sua oferta ao envolvimento na próxima fase, de  outros parceiros, incluindo socios estrangeiros e de outras empresas públicas. 

A fase que  agora começa também não será fácil para desdobrar os acontecimentos de uma longa negociação. Um dos possíveis parceiros internacionais, a Lufthansa (os outros são a Delta, que seria a mais provável , e a EasyJet, que está interessada em um consórcio, diz não ao projeto italiano  "Uma parceria com a Alitalia ainda é possível", mas "certamente não estaremos interessados ??em ser co-investidores com o governo em uma empresa que precisa ser amplamente reestruturada", diz o grupo alemão.
 
Os possíveis parceiros institucionais também se distanciam. Pesa o nó do pagamento do empréstimo-ponte: de  900 milhões junto ao governo, mais juros (cerca de 1 bilhão no total) que devem ser pagos até 15 de dezembro.
O estado está se preparando para voltar a ser  acionista da Alitalia, após mais de 22 anos desde a primeira privatização. A solução do governo é uma nova empresa com dotação inicial de pelo menos 2 bilhões de euros, cerca de 15% do Tesouro e com o envolvimento da Ferrovie dello Stato para a frota, juntamente com um parceiro industrial internacional. Só que este conjunto reaviva as tensões dentro do Executivo. italiano. 
A nova empresa teria recursos do Ministério da Economia (com uma participação semelhante a 14,8% da França na Air France) graças à conversão de parte do empréstimo-ponte de 900 milhões e terá um orçamento inicial de pelo menos dois bilhões. Foi  pensada uma parceria "estratégica" - junto com o bilhete único de trem, mas este projeto não avançou.


No geral, o Estado terá uma participação não superior a 15-20% da nova empresa (portanto, não 51% até o momento). O jogo também incluirá outra estatal, a Cassa depositi e prestiti, convocada para garantir o financiamento da compra ou arrendamento de novas aeronaves. A intervenção do Cdp - que gerencia a poupança postal e não está incluída no conjunto - será vista como uma operação de mercado: sob observação da Autoridade Antitruste da UE  e  empresas de nacionalidade União Europeia teriam preferência no apoio institucional, o que abre uma certa vantagem para a Easy Jet.

Ediçao > Antonio Euryco

PARCEIROS

Contatos

São Paulo/SP
Rua Martins Fontes, 330 - SALA BRAZIL
Centro - CEP: 01303-030
+55 (11) 3260-8488
+55 (11) 99679-7756

contato@guiadoturismobrasil.com

Rede Social


R J Publicidade e Marketing Ltda
CNPJ: 18.780.295/0001-21

© Copyright 2020 - Guia do Turismo Brasil | Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: DIGITATOS